Sentido biológico

Expressão e biologia,

Do sentido à cevada,

A planta do pé foi pauta,

Pra entender o movimento,

Da arte do corpo e sua extensão,

Cheiro, tempero e poesia,

Fazem parte dos gestos,

Dos sorrisos e olhares,

Da Lua,

Em bela noite de alquimia,

Antropofagia.

Frases e fases

Dopaminérgico

Acordar,

Despertar,

Agora,

No primeiro instante da hora,

Quando tudo o que está dentro vai pra fora,

No primeiro momento do dia,

Emergem os sonhos da noite,

Feito erupção vulcânica,

Estrelas e luas borbulham,

Do fundo da mente oceânica.

Pelos rios e ruas,

Do cérebro,

Pólvora,

Polvo,

Peixe,

Fogo,

Água,

Corrente,

Estopim elétrico,

Instante dopaminérgico.

Dialética

Muito além do normal,

Além da palavra,

Transcendental,

Além da matemática,

Da matéria,

Não-verbal,

Além da explicação,

Do por que,

Do real,

Dialética, linguagem,

Semiótica e surreal,

Laboratório,

Leitura labial.

Neurotransmissão

Contemplei o que nunca vi

Depois de tanto observar,

Entre um e outro olhar,

Contemplei o que nunca vi,

Depois de tantos olhos,

Tantas cores e olhares,

Enxerguei algo a mais,

Muito além da íris,

Invisível mas real,

Além da matéria,

Intangível e essencial,

Coisa que não se guarda em frascos,

Não se calcula,

Não se apalpa,

Não se pesa,

Não se mede,

Nem se pede,

Acontece,

É,

Coisas que jamais verei,

Mas sei que posso perceber,

Compreender,

Intuição? Quem vai entender?

Dentre todas as belezas,

Descobri que as coisas mais belas,

São aquelas que não conseguimos ver.

photo1

Sobre a luneta

Olho pra luneta,

do alto do Universo,

Noite ou dia,

Sinergia, verso,

Olho pra luneta com olhar inverso,

Pureza e cria,

Outro dia  imerso,

Olho pra luneta pra ver a Lua,

E descobrir a verdade,

Sobre toda criatura,

Olho pra luneta de perto,

Pra enxergar,

As outras partes do Universo,

Olho pra luneta,

Em busca de um conselho,

Mas na verdade é dessa altura,

Que eu me olho no espelho.

Child of the Universe

Sobre comer e roer

Roer é receio,

Comer é vontade,

Roer é saudade,

Comer é saúde,

Roer é corpo,

Comer é alma,

Roer é quase,

Comer é certo,

Roer é matéria,

Comer é metáfora,

Roer é nado,

Comer é mergulho,

Roer é raso,

Comer é profundo,

Roer é distância,

Comer é entrega,

Roer é saber,

Comer é sabor,

Roer é ter,

Comer é valor,

Comer é ser.

 
Inspirado em Rubem Alves no livro – Sobre a ciência e a sapiência. E em todos os outros antropófagos que já existiram.

Fragmentação natural

Como um mosaico, nossa mente é fragmentada,

E vive se multiplicando em outros fragmentos,

Nos mostrando inúmeros Eu’s,

Facetas que se escondem nas águas do inconsciente, saltam e dançam no oceano da mente,

Como grãos de areia que se reagrupam a cada nova onda,

Assim é nosso Ser,

Como uma colcha de retalhos, costurada com a linha da experiência,

Ser,

Se transforma a cada sensação, se abre a cada novo sentido.

Cores sobrepostas, novas tonalidades.

Verdades se tornam dúvidas,

Vendidas ao próximo vento,

Faladas em breve momento,

Ser e não ser,

Muito mais certo do que o tempo,

Eu fui,

Eu estou,

Eu vou,

É,

Ou,

Não,

Era,

Uma vez,

Talvez,

Sim e não,

São vidas em conflito. Constante contradição.

Beber e Comer

Palavras e seus infinitos significados,

Alimentação pra nossa vivência,

Sementes que nutrem talentos humanos,

Mais que experiência.

As poesias, assim com a arte,

Devem ser degustadas e ingeridas,

Afinal,

Quanto mais estimularmos nossos sentidos,

Mais saberemos quem somos,

Tomaremos decisões seguras,

Sobre nós mesmos,

Pintaremos belos versos,

Semeando leves palavras,

Escreveremos lindas obras,

Inventando breves emoções,

Boas intenções,

Experimentar e saborear, despertar!

Bebendo arte e comendo poesia!

Transdisciplinaridade

Conexões de saberes

Intersecção de sabores,

Alquimia experimental,

Salada de amores,

Mistura de temperos,

Miscelânea natural,

Redes cruzadas,

Troca-troca plural,

Raízes trançadas,

Entrelaçadas,

Tridimensional.


Mistura e vê o que dá!