Middle Age – Idade Média

In the streets of Dublin I can see a planet of the medieval era,

Where scenarios and people dance for joy,

The harps and flutes write about a people that sings and smiles

The gray days of winter bring the summer in a great river of good feelings,

So far everything is going well, although every day are uncertain,

Improbable and certainly many days to be discovered,

Covered by people from everywhere,

I found charm in the medieval city,

From history books to open doors,

The world that coming ahead.

Trinity College

Pelas ruas de Dublin enxergo um planeta da era medieval,

Onde os cenários e as pessoas dançam de alegria,

As harpas e flautas escrevem sobre um povo que canta e sorri,

Os dias cinzas de inverno trazem o verão em um grande rio de boas sensações,

Até agora tudo está dando certo, apesar de todos os dias serem incertos,

Improváveis com certeza e muitos a serem descobertos,

Cobertos de gente de todo canto,

Encontro na cidade medieval, encanto,

Dos livros de história às portas abertas,

Do mundo que vem pela frente.

A Citizen of the World – Um Cidadão do Mundo

I’m a citizen of the world,

Of the beauty and contradictions,

Scenarios, steps and lessons,

About the relations,

Endless connections,

The human search,

Full,

Physical, psychological, anthropological,

Flying is that I find the logic,

Excellence of being,

Human, people, face,

Trace, lace, taste,

All different,

Dipping in history

Old world, Middle-earth,

Navigating like a Viking,

In a large museum of news,

In the corners of the Joyce’s land,

Other words, other roads.

St. Patrick's Day - Dublin 2013

Sou um cidadão do mundo,

Das belezas e das contradições,

Dos cenários, dos passos e das lições,

Sobre as relações,

Infinitas conexões,

A pesquisa humana,

Plena,

Físico-psico-antropológica,

É voando que encontro a lógica,

Excelência do ser,

Humano, gente, rosto,

Traço, laço, gosto,

Tudo diferente,

Mergulhando na história,

Velho mundo, terra-média,

Navegando como viking,

Em um museu de grandes novidades,

Nas esquinas da terra de Joyce,

Outras palavras, outras estradas.

Existência

Olho pra você,

E vejo um brilho natural,

De vida,

Que pulsa no olhar,

Nesses olhos que falam,

E cílios que dançam,

Dá pra sentir a leveza do jeito,

Ver a beleza no gesto,

Na performance da fala,

O encanto que cala,

Um espaço sem tempo,

Intuição,

Universo intenso,

Sem explicação,

Imenso.

A beleza da existência

Viva a existência!

Musicalidade

No trem,

Trilho,

Pra lembrar da direção,

Qual o caminho da próxima estação?

Siga a trilha,

Sonora,

Pra lembrar que a vida é uma música,

Você é quem dá o tom,

Eleva o timbre,

Muda a nota,

E compõe a melodia,

Pois é a cada nova estação,

Que descobrimos novos acordes.

Harpa

Afinal,

Tem dias que se acorda bossa nova,

E se deita rock n’ roll.

Poesia em retrato

O enquadramento perfeito na praça,

Tempo e movimento,

Música e pensamento,

Do que vai,

E do que vem,

Além,

Estar,

Em rotação e translação,

Constelação,

Conexão,

 Tradução da calma,

Retrato,

Do corpo e da alma.

Poesia em retrato